Perguntas Frequentes

Recolhemos e respondemos às perguntas que mais frequentemente recebemos, para esclarecermos as dúvidas de forma rápida e eficaz.

Pode contribuir com doações de material de proteção individual (máscaras, viseiras, fatos de proteção, batas, aventais, cógulas, punhos, luvas, etc), bens essenciais, matérias-primas ou capacidade de produção. É, também, possível contribuir financeiramente para ajudar o desenvolvimento e compra de materiais.

Pode doar materiais de proteção individual (máscaras, viseiras, fatos de proteção, batas, aventais, cógulas, punhos, luvas, etc), itens de higiene pessoal (escova e pasta de dentes, champô, gel de banho, sabonete, etc), roupa de cama (lençóis, cobertores), bens essenciais e matérias-primas para a produção de equipamentos de proteção.

Sim. O valor mínimo para as doações em dinheiro é de 1€.

Todo o dinheiro angariado será utilizado para adquirir equipamento de proteção e bens essenciais que estejam em falta nas instituições e que não seja possível obter através de doações. O dinheiro pode também ser utilizado para a compra de matérias-primas e/ou apoio à produção dos materiais referidos anteriormente.

Os nossos voluntários entregam, diariamente, os materiais que recebemos às instituições que nos enviam os pedidos. Nenhum dos materiais oferecidos será comercializado pelo Minho Covid-19. Pode consultar todas as doações efetuadas e correspondentes entregas feitas até ao momento no nosso relatório de transparência,

.

Sim, basta solicitá-la a um dos nossos voluntários ou por e-mail.

Todos podem solicitar ajuda, mas a prioridade do Minho Covid-19 será distribuir materiais de proteção e bens essenciais às instituições que contribuem diretamente para o combate e prevenção da propagação da infeção ou que estejam em contacto direto com grupos de risco (hospitais, centros de saúde, enfermarias, bombeiros, instituições de solidariedade social, lares de idosos, etc).

Sim. Estabelecimentos comerciais e pessoas individuais podem solicitar ajuda, no entanto será sempre dada prioridade a instituições de saúde e instituições sociais.

Todos os pedidos devem ser feitos através do formulário direcionado para as instituições/pedidos, que se encontra no site.

Não. No formulário, pode indicar todas as suas necessidades e não há limite máximo para as mesmas.

Sim. Pode fazer os pedidos que necessitar basta preencher novamente este formulário (colocar em hiperligação). Sempre que submete o formulário, faz um novo pedido.

Neste momento, aceitamos pedidos de materiais de proteção individual (máscaras, viseiras, fatos de proteção, batas, aventais, cógulas, punhos, etc) e de bens essenciais (lençóis, itens de higiene pessoal, etc).

Não. O Minho Covid-19 não presta apoio financeiro às organizações, apenas fornecemos equipamento de proteção e bens essenciais.

Não é necessário levantar o seu pedido. Temos uma rede de voluntários dedicada à entrega das encomendas.

A gestão e distribuição dos pedidos é feita mediante ordem de chegada e é dada prioridade às entidades de saúde (Hospitais e Centros de saúde), bombeiros, instituições de solidariedade social e lares de idosos, por esta ordem. Os pedidos são entregues mediante a disponibilidade dos produtos solicitados.

O tempo de entrega dos pedidos varia consoante a disponibilidade dos produtos solicitados. Quando existe disponibilidade, as entregas são feitas em 1 a 2 dias.

Sim. Neste momento, fazemos essencialmente entregas em toda a região Norte do país, mas também já conseguimos mobilizar esforços para fazer chegar ajudas a outros sítios (Figueira-da-Foz, é um dos exemplos). Sempre que nos seja possível, queremos poder ajudar e chegar sempre a mais pessoas e sítios.

O Minho Covid-19 não tem qualquer interesse comercial nos processos de aquisição de equipamentos. O nosso objetivo é que a relação qualidade/preço seja a mais justa possível, pois só assim poderemos garantir auxílio ao maior número de pessoas. Nesse sentido, analisaremos diferentes propostas de vários fornecedores antes da aquisição de qualquer material.

Através dos pedidos realizados, é feito um levantamento das necessidades e avaliada a sua urgência.

Existirá sempre forma de ajudar as instituições com a aquisição de outros equipamentos e bens que necessitem.